Fundação D. Pedro IV à deriva

Alguns pais da Comissão Instaladora da Associação de Pais foram contactados telefonicamente pela Dra. Sandra Picoto, Directora de Acção Social da Fundação D. Pedro IV.
A Dra. Sandra Picoto informou os pais que o plano de reorganização que estava em curso havia sido suspenso e que, em breve, a Fundação reporia os funcionários que despediu desde o ano passado. Referiu ainda que a Fundação havia cometido muitos erros, em virtude de “alguns desconhecimentos” e deu garantias pessoais de que estes erros não se voltariam a repetir.
Contudo, as boas intenções demonstradas pela Dra. Sandra Picoto são contraditórias com as declarações que, no mesmo dia, o Eng. Canto Moniz, Presidente da Fundação, fez ao Jornal de Notícias, na qual refere apenas terem existido “duas mexidas”, desvalorizando as queixas dos pais e negando a perda de qualidade na comida, para a qual, conforme expresso em nota interna publicada neste blogue, havia dado instruções.
Mais uma vez os pais alertam os organismos competentes para o facto de os actuais corpos directivos da Fundação D. Pedro IV, em especial desde que passaram a interferir directamente nas actividades e na gestão interna das Casas de Infância, terem já demonstrado a natureza avulsa e gravosa das suas decisões, bem como uma notória incapacidade e gritante inadequação de perfil para continuarem à frente de uma instituição que lida com crianças.

Link para a notícia do JN.

12 Responses to “Fundação D. Pedro IV à deriva”


  1. 1 Sandra Somsen 19 Fevereiro 2007 às 11:31 am

    Dado que o Engº Canto Moniz se gaba de não receber protestos dos pais, que tal entupirmos-lhe a caixa de sugestões com centenas de queixas, com conhecimento para a Segurança Social e imprensa?

  2. 2 mãe de Santana 19 Fevereiro 2007 às 2:42 pm

    Sugiro, em vez da caixa de sugestões, o email institucional fundacao@fundacaodpedroiv.org.

    Vamos lá entupir isso!

  3. 3 Misterio da Fundaçao 19 Fevereiro 2007 às 10:26 pm

    Vasco Canto Moniz, Presidente da Administração da Fundação D. Pedro IV deu ordem para as Ajudantes de Acçao Educativa limparem as salas incluindo aspirar e lavar, e como elas n fazem sao sujeitas a um relatorio feito pelas Directoras e assinado por duas Educadoras destes estabelicimentos, isto em todas as instituições, e as nossas crianças sem as respectivas nestas horas.
    Seria muito mais facil por serviço de limpezas (Paginas Amarelas em limpezas), nao?
    E as Ajudantes fazerem o serviço delas vigilancia de crinças penso eu de que ….

    P.S Todos os dias q entrego a minha filha declaro com muita tristeza e stress nos rostos das respectivas funcionarias!

  4. 4 Misterio da Fundaçao 19 Fevereiro 2007 às 10:28 pm

    Embora lá entupir isso tudo … lol

  5. 5 Ana Isabel 20 Fevereiro 2007 às 1:01 am

    Não se deixem adormecer pela conversa fiada da drªSandra Picoto, a mesma é afilhada do Canto Moniz, e foi destacada para administrar a Mansão de Marvila, após o padrinho da senhora drª ter despedido a directora daquela instituição.
    Desde que a drª Sandra Picoto está à frente da Mansão de Marvila,os idosos mais carenciados ou com menos recursos, estão a ser esquecidos e mal tratados, isto de acordo com ordens expressas do engºCanto Moniz e seguindo orientações do mesmo, é de facto desumano,mas é real, por isso como pode a drª Sandra Picoto estar sensivel às preocupações dos pais.
    Os objectivos da Fundação D. Pedro IV, em todas as suas vertentes, quer na habitação,educação e apoio à terceira idade, passa pelo lucro, dinheiro rápido para investir em projectos e negócios de natureza privada dos dirigentes daquela IPSS.
    Falta de sensibilidade e desumanisno, são máximas e uma constante daquela instituição, que se intitula de Solidariedade Social, onde?
    Por isso digo, cuspam no chá, entupam a caixa de sugestões da Fundação, façam tudo aquilo que teem direito, porque este tipo de gente merece isso e muito mais.
    Bem hajam.

  6. 6 Cristina 20 Fevereiro 2007 às 3:25 am

    SEM ESCRÚPULOS

    Sob o título “Fundação D. Pedro IV pede audiência”, saiu esta segunda-feira, 19 de Fevereiro, no http://www.noticiasdamanha.net:
    A Fundação D. Pedro IV pediu sexta-feira uma audiência com o ministro da Solidariedade Social para “repor a verdade dos factos” em relação às queixas de pais cujas crianças frequentam os infantários geridos pela instituição. O objectivo é “ser reposta a verdade dos factos”, informa a Fundação.

    Ser reposta a verdade dos factos???? Este Engº, não tem vergonha?

    Cristina

  7. 7 Mãe de S. Vicente 22 Fevereiro 2007 às 3:27 pm

    NÃO DEIXA DE SER CURIOSO…

    A 16 de Fevereiro:
    Uma mãe de Calafates comenta no grupo de pais do colégio de Santana, que recebeu um telefonema da directora de Acção Social da Fundação, com um pedido verdadeiramente estranho, “que lhe fosse (re)enviado um mail com uma lista das queixas individuais dos pais, mas com a data actual, para eles pudessem revogar todas as acções tomadas que fossem conflituosas para os pais”

    Agora? Com data actual? E então para que está a
    Comissão Instaladora da Associação de Pais? Quantos
    mais pais seriam contactados e nós nem o sabemos? Que
    pretende o CA da Fundação?

    A 17 de Fevereiro:
    A Drª Sandra Picoto entrou em contacto com alguns dos pais da Comissão Instaladora da Associação de Pais, informando-os que “a dita reorganização que estava em curso havia sido suspensa e que, em breve, a Fundação reporia os funcionários que despediu desde o ano passado”. Referiu ainda que “a Fundação havia cometido muitos erros, em virtude de alguns desconhecimentos e deu garantias pessoais de que estes erros não se voltariam a repetir”.

    Embora esta Drª. tivesse tido o cargo que hoje parece
    pertencer à filha do presidente do CA, não é verdade
    que agora se encontra em funções na Mansão de Marvila?
    Então é ela que fala sobre a reorganização das casas de
    infância? Porque não é o presidente do CA a fazer o
    referido comunicado aos pais e de preferência por
    escrito?

    Lamentavelmente, nesse mesmo dia o Engº Canto Moniz anuncia factos contraditórios ao Jornal de Notícias.

    Manobras e mais manobras… O presidente do CA, não
    poderia fazer um comunicado aos pais, visto estar
    ocupado a expor ao Jornal de Notícias a sua versão dos
    acontecimentos, que lamentavelmente é bem diferente da
    realidade.

    A 19 de Fevereiro:
    A notícia no Noticias da Manhã; A Fundação D. Pedro IV pediu sexta-feira uma audiência com o ministro da Solidariedade Social para “repor a verdade dos factos” em relação às queixas de pais cujas crianças frequentam os infantários geridos pela instituição. O objectivo é “ser reposta a verdade dos factos”, informa a Fundação.

    “Reposta a verdade dos factos”, certamente quererá
    explicar que o despacho que emitiu e assinou em
    Novembro de 2006, não é bem o que aparenta ser, mais
    bem, será uma distorção da realidade.

    A 21 de Fevereiro:
    As ajudantes educativas questionaram as directoras dos diversos centros, acerca do contacto da Drª. Sandra Picoto e a decisão tomada pela Fundação de suspender a reorganização e de repor os funcionários que despedira (notícia publicada no blog dos pais). A resposta que obtiveram foi a de que nada tinha sido comunicado e ninguém sabia de nada. O único que sabiam é que essa Drª. teria pedido alguns contactos de alguns pais.

    Não me parece de todo normal que uma das partes
    interessadas,de nada saiba.

    A final de contas, que pretende o Engº Vasco do Canto Moniz? Dissuadir os pais de continuarmos a lutar pelo bem-estar dos nossos filhos? Confundir os pais com manobras estudadas? Tentar dividir os pais para que tenhamos menos força?
    Se realmente fosse intenção deste CA, alterar todos os erros cometidos e repor a normalidade, condições de segurança e bem-estar dos nossos filhos, com toda a certeza não daria o dito pelo não dito, não daria passos em direcções opostas e certamente que teria avisado o seu pessoal de que a reorganização havia sido suspensa, assim como os postos de trabalho que tinham sido extintos seriam repostos.
    Não podemos parar, temos de continuar a lutar pelos nossos filhos, exigir que as condições pelas quais pagamos a peso de ouro sejam repostas e para tal parece-me imprescindível a destituição deste CA.
    Um grande bem-haja por todos aqueles que tem encabeçado esta nossa luta.

  8. 8 Sandra 22 Fevereiro 2007 às 4:06 pm

    Pois é,

    também em Santana, dia 21.02.2007, ninguém sabia de nada sobre a recontratação dos funcionários despedidos….

    Parece que o Eng gosta de guardar as informações para si – só ele e a sua afilhada é que pelos vistos têm conhecimento dos moldes em que “parou” a reestruturação…

    Mas que grande palhaçada! Se de facto a reestruturação estivesse suspensa e quisessem recontratar as funcionárias despedidas, não acham que isso já seria do conhecimentos de todos – pais, meios de comunicação, etc?

    Ainda ontem algumas das ditas funcionárias despedidas estiveram de visita aos “seus meninos”, só para matar saudades. Porque não aproveitaram para conversar com elas?

  9. 9 Mariana Avelãs 22 Fevereiro 2007 às 5:36 pm

    Eu já escrevi à fundação!
    Fica aqui o texto, na íntegra. Sintam-se à vontade para o copiar, alterar, ememndar – mas vamos é encher a caixa do correio da fudação com as nossas justíssimas queixas.

    Vamos a isto.

    ——————————————————————

    Aos Órgãos Sociais da Fundação D. Pedro IV

    Na sequência de um conjunto de medidas levadas a cabo pelo actual
    Conselho de Administração da Fundação D. Pedro IV, no âmbito de um
    plano de reorganização do qual não me foi dado prévio conhecimento, e que têm vindo a pôr em causa a segurança, higiene e estabilidade
    emocional das crianças que frequentam o estabelecimento de infância no qual a minha filha está inscrita, agravadas pelo estado de terror e pressões a que os funcionários têm sido sujeitos, pela tentativa de ocultação aos pais da situação criada, pelas instruções dadas pelo Conselho de Administração da Fundação D. Pedro IV para a diminuição da qualidade da comida, pela ausência de transparência quanto às condições que se prevêem para o próximo ano lectivo e pelas atitudes que contradizem a informação veiculada por circulares aos pais, bem como a verificação do total desrespeito e falta de formação no lidar com crianças por parte dos corpos gerentes da Fundação, considero que se quebrou o vínculo de confiança que deve existir entre os pais e a administração do estabelecimento de infância da minha filha. Confiança
    essa impossível de restabelecer a partir do momento em que tive
    conhecimento de um relatório da Inspecção-geral da Segurança Social
    que indica existirem fortes indícios de desvio de verbas da Fundação D. Pedro IV para fins privados e pessoais.

    Desta forma, enquanto mãe e cidadã, venho por este meio exigir que os actuais órgãos sociais da Fundação D. Pedro IV apresentem a sua
    demissão, para que deste modo, a minha filha possa continuar a crescer num ambiente saudável, de estabilidade e paz.

    Mariana Avelãs

  10. 10 Tiago Mota Saraiva 22 Fevereiro 2007 às 6:11 pm

    Também já escrevi.

  11. 11 Sandra Müller 23 Fevereiro 2007 às 12:34 pm

    Eu também

  12. 12 Inês do Carmo 23 Fevereiro 2007 às 10:20 pm

    Presente!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Divulgação Cultural

Blog Stats

  • 228,833 hits

%d bloggers like this: