Estratégias para o combate à desobediência e à agressividade

Retirado e adaptado da Pais&Filhos
À medida que desenvolvem a sua autonomia e descobrem aquilo que gostam e não gostam de fazer, as crianças começam a testar os limites da paciência dos pais. A dada altura, contrariá-los passa a ser o seu desporto favorito.
As estratégias para impor autoridade variam consoante os especialistas e, claro, consoante as famílias, mas alguns aspectos, mais do que teorias, são puro bom-senso.
Eis algumas dicas:
– Não imponha regras só porque sim. Procure explicar a razão das mesmas. É claro que quando não é possível negociar mais, não hesite. Seja firme e não desarme perante a teimosia do seu filho.
– Não entre em discussões intermináveis. Só irá agravar a situação e prolongar o sofrimento. Mais uma vez, seja firme. Sabemos bem que é difícil, mas evite ao máximo os gritos e o descontrolo.
– Seja coerente: se, perante a desobediência do seu filho, ameaçou com algum castigo – razoável, claro está – cumpra o prometido. E não repita a ameaça mil vezes. Execute.
– Não altere constantemente as regras lá de casa. As crianças cumprem melhor as normas se pensarem nelas como sendo fixas e previsíveis.

Bater nos outros, mandar com os brinquedos ao chão, pontapear uma porta: qual é a criança que nunca se comportou desta forma? Aos pais compete controlar os filhos e fazê-los ver que a agressividade não é remédio para a frustração. O pediatra norte-americano Berry Brazelton explica como:
– Tente controlar a agressão. É importante acalmar os ânimos. Se for preciso, segure no seu filho com firmeza. Se o problema envolver duas crianças à bulha, separe-as imediatamente de forma decidida.
– Repita as regras da boa convivência mesmo que o seu filho já saiba a cantilena toda de cor. Seja firme e faça com que ele diga – e assimile – que «não se bate nos outros», seja lá qual for a razão.
– Ensine o seu filho a saber reconhecer o estado emocional em que se encontra. Ajude-o a dar nome às emoções. É uma forma de desenvolver o auto-controlo.
– Quando a criança estiver mais calma, é tempo de introduzir a disciplina. Ajude-a a perceber as implicações do que aconteceu e a sua responsabilidade na situação. O que é que despoletou o acesso de raiva? Mostre-lhe que ela é capaz de se controlar se fizer um esforço.
– Não ralhe só por ralhar. Tente perceber porque é que o seu filho agiu de forma agressiva. Pode haver razões subjacentes que necessitem de ser trabalhadas.
– Pedir desculpa é fundamental. Mas atenção, pedidos esfarrapados não contam. É preciso que a criança aprenda a ser sincera. Mostre-lhe as consequências de não assumir os erros e não pedir desculpa. Se ela necessitar de algum tempo para pensar no assunto, dê-lho. As crianças não se tornam maduras de um momento para o outro.
– Seja benevolente e aceite as desculpas. Desta forma, estará a ajudar o seu filho a restaurar a crença na sua própria boa-vontade e isso também é importante.

1 Response to “Estratégias para o combate à desobediência e à agressividade”


  1. 1 Mãe de Familia 3 Fevereiro 2010 às 2:59 am

    ADOREII VALE APENA LER , IIH EU POSSO APROVAR FUNCIONOU COMIGO ENTAO TENTE VOCE TBM


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Divulgação Cultural

Blog Stats

  • 228,750 hits

%d bloggers like this: